POLÍTICAS DE PESQUISA 2021-04-14T15:22:43+00:00

Políticas de Pesquisa

As políticas de pesquisa a serem adotadas pela Faculdade Princesa do Oeste têm como foco os acadêmicos e especialistas regularmente matriculados nos cursos de graduação e pós-graduação, ofertados pela Instituição e será destinado a acadêmicos e especialistas com bom rendimento, a fim de proporcionar sua participação em atividades de pesquisa, no desenvolvimento tecnológico de produtos e processos, ou na aplicação de resultados tecnológicos, sempre direcionando as linhas de pesquisa para as ênfases basilares do currículo pleno, denotando as práticas de campo, o estágio supervisionado e outros ensejados a partir dos ementários das disciplinas preponentes.

Certa de sua missão, a Faculdade prima pela qualidade sendo estratégico desenvolver um programa de incentivo e difusão da cultura e da pesquisa científica e tecnológica, como instrumento norteador de todas as ações neste campo.

Norteando-se em linhas preferenciais, o programa de pesquisa da Faculdade Princesa do Oeste é elaborado a partir de um procedimento seletivo de demandas de pesquisa e extensão, visando ao atendimento dos projetos públicos e do setor produtivo, que apresentem sustentabilidade no que concerne aos aspectos de criação e melhoria de processos, ao controle de qualidade, à geração de novos produtos, à absorção e transferência de tecnologias e aos processos inovadores e alternativos.

Com vistas à sustentabilidade do Programa de Iniciação Científica, evidenciam-se esforços para a ampliação do programa, através da constante capacitação do corpo docente, além da captação de outras fontes financeiras, visando consolidar recursos necessários ao desenvolvimento dos projetos de pesquisa.

Dentro deste contexto, a Faculdade Princesa do Oeste prioriza projetos que se destinem a solucionar problemas em conformidade com as linhas de pesquisa instituídas para cada curso, além da demanda tecnológica que empeçam o desenvolvimento de segmentos produtivos de peso significativo para a ocupação da força de trabalho regional, geração, distribuição de renda e bem-estar da comunidade.

O profissional deve ser capaz de questionar a realidade e fornecer respostas concretas e imediatas aos problemas que surgem em sua atividade diária, quando engajado no mundo do trabalho. A investigação do desconhecido ajuda a formar uma mente organizada no método científico, na análise crítica frente a novos desafios e na proposição e verificação experimental de hipóteses de trabalho a serem testadas de forma lógica e sistemática.

O espírito analítico-crítico, a inovação de soluções e o empreendedorismo, entre outras, são qualidades trabalhadas no cotidiano da pesquisa, importantes, também, no processo de formação do acadêmico por desenvolver, neste, características desejáveis como autoconfiança, liderança e versatilidade.

Em termos de políticas aponta-se a implementação das seguintes:

  • Apoiar prioritariamente a formação e a consolidação de grupos de pesquisa, por projetos integrados em áreas de conhecimento, de caráter interdisciplinar, voltado, inicialmente, para a Iniciação Científica;
  • Instituir sistemática de acompanhamento e avaliação permanente da pesquisa/iniciação cientifica desenvolvida na Instituição;
  • Promover a divulgação das pesquisas realizadas incentivando o intercâmbio dos grupos da FPO com outras instituições locais e nacionais;
  • Identificar fontes alternativas de captação de recursos junto aos órgãos de fomento (CNPq, FUNCAP, dentre outros e adotar mecanismos flexíveis para sua utilização utilizando editais internos para seleção dos eventos);
  • Adequar as condições de infraestrutura e suporte à atividade de pesquisa, criando uma comissão de ética e um corpo editorial para análise da produção emergente das pesquisas;
  • Incentivar o espírito analítico-crítico e científico estimulando a participação de alunos na atividade de pesquisa e proposição de soluções inovadoras e transformadoras da realidade investigada;
  • Aprimorar a formação acadêmica dos alunos contribuindo significativamente para a produtividade das linhas de pesquisa em que participam, incentivando a produção individual ou em colaboração com seus orientadores, visando a divulgação dos resultados das pesquisas em eventos regionais;
  • Incentivar o aluno da graduação a dar continuidade a seus estudos por meio de Cursos de pós-graduação, oportunizando uma formação complementar e articulada às demandas profissionais.

A pesquisa/iniciação científica faze a integração entre a academia, a sociedade e o setor empresarial, pois se entende que seu papel científico tem como finalidade o desenvolvimento econômico, social, artístico e cultural, que busca a melhoria das condições da qualidade de vida da população.